como acontece a adaptação dos aparelhos auditivos?

seleção e adaptação dos aparelhos auditivos

Escrito por: Amanda Neves, Fonoaudióloga- Microsom BH

Adaptar-se aos Aparelhos Auditivos é uma tarefa que exige entre inúmeros fatores: Motivação, Aceitação da Perda Auditiva, Experiência do Profissional Audiologista e Acompanhamento fonoaudiológico permanente.

É comum em nossa prática clínica atender pacientes que relatam ter adquirido Aparelhos Auditivos mas não terem se adaptado.

Existem diversos motivos para isso ter acontecido. 

Nesse texto vou explicar como é complexo e importante o Processo de Adaptação dos Aparelhos Auditivos.

etapas do processo de seleção e adaptação dos aparelhos auditivos

a primeira consulta anamnese

Na primeira consulta, através de uma conversa detalhada, procuramos saber sobre a  história clínica do paciente, queixas auditivas existentes, estilo de vida, profissão, estado geral de saúde, além de suas necessidades específicas.

Explicamos ao paciente sobre o seu exame de audiometria de forma que ele entenda o resultado e como o mesmo tem relação com a dificuldade auditiva apresentada.

Também é importante que o paciente entenda o funcionamento da audição e os impactos causados pela perda auditiva não tratada. 

Tudo isso deve ser abordado através de uma linguagem clara, a fim de que ele entenda o seu problema e como o processo de Adaptação bem realizado poderá ajudá-lo.

a primeira consulta seleção do aparelho auditivo

O Profissional Fonoaudiólogo, depois de realizar uma anamnese bem detalhada, selecionará as opções ideais de Aparelhos Auditivos a fim de atender as necessidades existentes.

O Grau da Perda Auditiva, estilo de vida e a preferência estética, também são alguns dos fatores importantes que levamos em consideração na hora se selecionar o modelo e recursos tecnológicos dos Aparelhos Auditivos.

Soluções auditivas atuais

O Mercado oferece diversas Soluções, com recursos inovadores:

  • Aparelhos Auditivos Recarregáveis;
  • Aparelhos Auditivos com Recursos para o Zumbido;
  • Aparelhos Auditivos com Inteligência Artificial;
  • Aparelhos Auditivos com Sensores Integrados;
  • Aparelhos Auditivos que se conectam com Smartphones, entre outras opções.

a primeira consulta teste gratuito

Após selecionado o Aparelho Auditivo, sugerimos sempre que possível, o teste domiciliar antes da aquisição. Este teste pode ser realizado de forma gratuita pela maioria das empresas de Aparelhos Auditivos. 

Durante esse período de teste, o paciente deve retornar a clínica para que o profissional fonoaudiólogo avalie como está sendo a Adaptação dos Aparelhos Auditivos, realize ajustes necessários, além de orientar sobre todo o processo, esclarecendo as dúvidas que possam ocorrer.

Nesse período de teste, a família será de extrema importância, devendo ser orientada sobre todo o prognóstico e como se portar com o paciente em situações do cotidiano.  

fatores que influenciam o período de adaptação dos aparelhos auditivos

Existem alguns fatores que influenciam no tempo de Adaptação dos Aparelhos Auditivos, como:
  1. O Tipo e Grau de Perda Auditiva;
  2. O tempo de Privação Sensorial (quanto tempo ficou sem estímulo auditivo);
  3. A motivação/Aceitação do paciente.

aclimatização, entenda o que é e como funciona

Cada pessoa tem o seu próprio período de adaptação com os Aparelhos Auditivos.

Esse período é denominado (Aclimatização), que é o tempo e resposta a estimulação auditiva, podendo variar de 6 semanas a 6 meses.

 

A Aclimatização é basicamente o processo de ajuste do cérebro para receber o som amplificado. No entanto, alguns pacientes, mesmo após um período maior, podem demorar um pouco mais. 

ORIENTAÇÕES sobre o processo de ADAPTAÇÃO

Como o nosso cérebro precisa de 6 semanas a 6 meses para reconhecer os Aparelhos Auditivos, recomenda-se que ocorra uma estimulação auditiva em torno de 8 horas por dia com os Aparelhos Auditivos a fim de desenvolver esse processo.

  •  O Processo de Adaptação pode variar de acordo com a idade (idosos geralmente  necessitam de um tempo maior).
  •  Tipo de Perda Auditiva:  Alguns tipos de Perdas Auditivas, como as perdas condutivas, onde não existe  lesão no ouvido interno, apresentam melhor prognóstico.
  • Tempo que existe a Perda Auditiva: Quanto maior o tempo, maior a Privação Auditiva e maior a dificuldade de adaptação.
  • A motivação do paciente também interfere no processo de adaptação. É muito importante a aceitação da perda e do uso do aparelho auditivo.
  • Seguir as recomendações do profissional e retornar periodicamente  as consultas para novos ajustes e avaliação são fundamentais para o sucesso da Adaptação.

Espero que tenha gostado dessas orientações e dicas!

Obrigada pela leitura!

Até breve!

Amanda Neves, Fonoaudióloga da Microsom BH